ENVENENAMENTO E INTOXICAÇÕES

            A exploração do espaço é uma atividade importante para o desenvolvimento infantil. Colocar objetos na boca ou tentar pegar frascos com líquidos coloridos são comportamentos característicos das crianças, mas que também podem colocá-las em grande risco de envenenamento e intoxicação não intencional. Segundo o Ministério da Saúde, em 2009, 4.155 crianças de até 14 anos foram hospitalizadas vítimas de intoxicação. O envenenamento é a quinta causa de hospitalização por acidentes com crianças de 1 a 4 anos.

 

          Quando exposta ao veneno, a criança sofre consequencias mais sérias comparando-se com um adulto, pois possui uma estrutura corporal menor e seu metabolismo é mais rápido. Além disso, seu organismo é menos capaz de lidar com toxinas químicas.

 

Como proteger a criança de um envenenamento (intoxicação)


• Guarde todos os produtos de higiene e limpeza, venenos e medicamentos trancados, fora da vista e do alcance das crianças;

 

• Mantenha os produtos em suas embalagens originais. Nunca coloque um produto tóxico em outra embalagem que não a de origem. Isso pode confundir a criança;

 

• Saiba quais produtos domésticos são tóxicos. Produtos comuns, como enxaguantes bucais, podem ser nocivos se a criança engolir em grande quantidade;

 

• Dê preferência a embalagens com tampas a prova de abertura por crianças. Essas tampas de segurança não garantem que a criança não abrirá a embalagem, mas podem dificultar bastante, a tempo de que alguém intervenha;

 

• Nunca deixe produtos venenosos sem atenção enquanto os usa;

 

• Não crie novas soluções de limpeza misturando diferentes produtos designados para outro fim. Esta nova mistura pode ser nociva e mais tóxica;

 

• Sempre leia os rótulos e bulas e siga corretamente as instruções para dar remédios às crianças baseando-se no peso e idade. Use apenas o medidor que acompanha as embalagens de medicamentos infantis;

 

• Nunca se refira a um medicamento como doce. Isto pode levar a criança a pensar que não é perigoso ou que é agradável de comer. Como as crianças tendem a imitar os adultos, evite tomar medicamentos na frente delas;

 

• Saiba quais plantas dentro e ao redor de sua casa são venenosas, remova-as ou deixe-as inacessíveis para as crianças. Veja no site quais as plantas tóxicas mais comuns;

 

• Quando adquirir um brinquedo para a criança, certifique-se que ele é atóxico, ou seja, não contém componentes tóxicos;

 

• Jogue fora medicamentos com data de validade vencida e outros venenos potenciais. Procure por produtos de limpeza que você não utiliza mais e desfaça-se deles;

 

• Mantenha telefones de emergência (SAMU: 192 e Corpo de Bombeiros: 193) próximos aos aparelhos de telefone de sua casa. Peça para os avós, parentes e amigos fazerem o mesmo;

 

• Instale detectores de fumaça em sua casa. Se o alarme soar, deixe a casa imediatamente e ligue para o departamento de bombeiros ou serviço de emergência médica (SAMU: 192 e Corpo de Bombeiros: 193);

 

• Em caso de intoxicação, entre em contato imediatamente com o pronto-socorro ou Centro de Controle de Toxologia de sua cidade para receber orientações adequadas;

 

• Crianças com até dois anos de idade correm maior risco de um envenenamento não intencional. Produtos de limpeza e medicamentos são riscos significativos. Os bebês também podem se envenenar respirando a fumaça de cigarros.

 

Saiba mais:


• As crianças mais novas estão naturalmente mais expostas ao risco de sufocação e a maior frequência de casos está entre as crianças até 4 anos, pois exploram o ambiente com seus sentidos - olfato, paladar, tato, visão e audição. Além disso, não possuem a noção de risco desenvolvida;

 

• Crianças podem ser envenenadas por muitos produtos domésticos comuns, incluindo produtos de limpeza, cosméticos, bebidas alcoólicas, plantas, corpos estranhos, brinquedos, pesticidas, produtos de arte, tintas, álcool, medicamentos e vitaminas;

 

• As tintas do berço e da parede de sua casa podem conter substâncias tóxicas como chumbo e monóxido de carbono, as quais fazem mal à saúde da criança; por isso preste atenção à composição das tintas utilizadas em sua residência.

Fonte: www.criancasegura.org.br