QUEIMADURA

          Entre os acidentes com crianças, um dos mais devastadores é a queimadura, que deixa milhares de crianças com sequelas permanentes. Na maioria das vezes, o tratamento é dolorido e demorado. Segundo o Ministério da Saúde, em 2009, 293 crianças de até 14 anos morreram e 19.476 foram hospitalizadas vítimas de queimaduras.

 

         Uma tomada sem proteção, o cabo da panela virado para fora do fogão e materiais inflamáveis perto do fogo, representam sérios riscos para a criança. A maioria dos casos ocorre na cozinha, onde as crianças brincam nos horários de preparo dos alimentos. Informação e educação são os elementos essenciais para prevenir acidentes envolvendo queimaduras.

 

Como proteger a criança de uma queimadura


• Mantenha a criança longe da cozinha e do fogão, principalmente durante o preparo das refeições;

 

• Cozinhe nas bocas de trás do fogão e sempre com os cabos das panelas virados para trás, para evitar que as crianças entornem os conteúdos sobre elas. O uso de protetores de fogão é um cuidado a mais para evitar que a criança tenha acesso às panelas;

 

• Evite carregar as crianças no colo enquanto mexe em panelas no fogão ou manipula líquidos quentes. Até um simples cafezinho pode provocar graves queimaduras na pele de um bebê;

 

• Quando estiver tomando ou segurando líquidos quentes, fique longe das crianças;

 

• Não utilize toalhas de mesa compridas ou jogos americanos. As mãozinhas curiosas podem puxar estes tecidos, causando escaldadura ou queimadura de contato;

 

• Durante o banho do bebê: coloque primeiro a água fria e verifique a temperatura da banheira com o cotovelo ou dorso da mão;

 

• Não deixe as crianças brincarem por perto quando você estiver passando roupa nem largue o ferro elétrico ligado sem vigilância. Cuidado com os fios dos outros eletrodomésticos. Se possível, mantenha-os no alto;

 

• Fogos de artifício devem ser manipulados por profissionais e NUNCA por crianças.


•  Nas festas juninas não permita brincadeiras com balões ou de saltar fogueira.

 

Eletricidade


• Verifique sempre o estado das instalações elétricas. Fios desencapados podem ser muito perigosos;

 

• Evite ligar vários aparelhos eletrônicos em uma mesma tomada;

 

• Substitua as fiações antigas e desencapadas. Os fios devem ficar isolados em locais adequados como canaletas e conduítes;

 

• As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis;

 

• Fios elétricos devem estar isolados e longe do alcance das crianças;

 

• Evite usar benjamins (tês) ou extensões. Muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem causar sobrecarga e curto circuito na fiação;

 

• Só permita que as crianças empinem pipas em campos abertos, com boa visibilidade, sem a presença de fios e postes de eletricidade. Oriente-as quanto aos riscos do uso do cerol e de retirar a pipa caso enrosque na rede;

 

• Oriente sobre os perigos de entrar nas áreas das estações de distribuição ou nas de torres de transmissão;

 

• Cuidados com eletrodomésticos em mau estado de conservação como ventiladores e geladeiras, que podem causar choque e curto-circuito. Se possível, faça revisões ou a troca desses produtos e mantenha o hábito de usar chinelo de borracha;

 

• Antes de consertos e reformas, desligue a chave geral. Prefira os serviços de um eletricista;

 

• Desligue o chuveiro antes de mudar a chave verão/inverno;

 

• Não coloque objetos metálicos (facas, garfos, etc.) dentro de equipamentos elétricos;

 

• Considere a instalação de um dispositivo de proteção residual (DR), no quadro de distribuição de energia elétrica, que tem a função de cortar a vazão de corrente elétrica que causa choques.

 

Inflamáveis


• Não deixe fósforos, isqueiros e outras fontes de energia ao alcance das crianças;

 

• Guarde todos os líquidos inflamáveis em locais altos e trancados, longe do alcance das crianças;

 

• Muito cuidado com o álcool. Ele é responsável por um grande número de queimaduras graves em crianças. Guarde o produto longe do alcance delas. Não deixe que ele faça parte da brincadeira, principalmente quando já houver alguma fogueira ou chama por perto. O mais seguro é substituir qualquer versão de álcool por outros produtos de limpeza doméstica, como água e sabão;

 

• Nunca jogue álcool engarrafado sobre chamas ou brasas, nem utilize este produto para cozinhar. O álcool poderá explodir, provocando queimaduras graves ou até fatais;

 

• Velas ou candeeiros acesos em móveis de madeira, perto de cortina, mosquiteiro ou colchões podem causar incêndio em poucos minutos;

 

• Só acenda velas em recipientes fundos (como jarros de vidro) ou num prato fundo com água;

 

• Apague velas e candeeiros quando sair de casa, mesmo que seja uma ida a casa da vizinha;

 

• Deixe itens inflamáveis como roupas, móveis, jornais e revistas longe da lareira, do aquecedor e do radiador;

 

• Tire todos os aquecedores portáteis do alcance das crianças;

 

• Cheque os perigos de incêndio. Procure por fios desencapados ou materiais inflamáveis próximos à fonte de calor, como aquecedores de ambiente.

 

Escapando de um Incêndio


•  Um pequeno incêndio pode tornar-se fatal em questão de minutos. Para ajudar a evitar uma tragédia, inspecione minuciosamente sua casa e elimine os riscos em potencial.

 

•  Prepare sua casa para uma emergência e ensine a sua família os perigos de um incêndio e como escapar dele.

 

• Designe uma estratégia de saída de emergência e um ponto de encontro fora da casa, desta forma todos os membros da família podem ser encontrados rapidamente;

 

• O ideal é instalar detectores de fumaça em todos os pavimentos de sua casa e em toda área de dormir. Os equipamentos devem ser testados mensalmente para comprovar seu bom funcionamento.

 

Ensine a criança:


• Arrastar-se embaixo da fumaça durante o incêndio para evitar intoxicação. Muitas mortes são causadas pela inalação de fumaça e gases tóxicos;

 

• Tocar nas portas antes de abri-las. Se a porta estiver quente, a criança deve usar uma saída alternativa;

 

• Nunca voltar a um prédio em chamas. As crianças devem ser orientadas a não parar e nem voltar por nenhuma razão, como um brinquedo, por exemplo, ou mesmo para ligar para o número de emergência. A ligação para a emergência deve ser feita depois de deixar o edifício ou a casa;

 

• "Pare, caia e role". Se pegar fogo nas roupas da criança pare, faça-a cair no chão e rolar de um lado para o outro rapidamente para extinguir as chamas;

 

• Caso a casa tenha detectores de fumaça, as crianças devem conhecer o som do aparelho e saber como agir ao soar o sinal.

 

Saiba mais:


• As crianças são mais vulneráveis à queimadura pelas seguintes características: pele mais fina que os adultos e crianças mais velhas; sofrem queimaduras a temperaturas mais baixas e mais rapidamente atingem maior profundidade e maior superfície do corpo; têm habilidade reduzida para escapar do perigo;

 

• O fogo exerce uma atração quase mágica na infância. A "brincadeira" tende a começar no quarto, quando estão sozinhos com fósforos ou isqueiros, mas pode transformar-se em um incêndio de grande proporção;

 

• As crianças que vivem em áreas rurais ou em casas de papelão na periferia correm maior risco de sofrer incêndios residenciais devido ao uso de candeeiro e fogão a lenha.




Fonte: www.criancasegura.org.br